O Leste

À medida que se avança longe em direção leste a
partir do Mar Interior, as florestas orientais vão se tornando
gradualmente mais densas, silenciosas e hostis. Aqui, as
arvores são mais altas, as bestas da floresta são maiores e
mais agressivas e aquela presença maliciosa quase consciente
que algumas vezes se sente quando se está em um terreno
desconhecido cresce a cada instante. Por fim, o caminho é
bloqueado por uma aparentemente interminável parede de
declives, armadilhas naturais e terreno acidentado. É dito que
quando se avança muito ao leste, o solo desaparece debaixo
do matagal e das raízes das arvores, e tudo o que se vê é uma
interminável catedral de arvores, estendendo-se para cima e
para baixo, do cume ao nadir, uma sagrada perfeição verde
de folhas calmas devido à ausência de movimento do ar aqui
— no Pólo Elemental da Madeira. Tribos bárbaras vivem no
distante Leste, em um mundo emaranhado pelas arvores,
sem jamais ver o céu ou o solo devido às copas infinitas e as
raízes gigantescas.
No Sudeste, as florestas assumem um caráter mais
tropical, enquanto no nordeste pinheiros e freixos sufocam os
carvalhos e bordos. Todas as áreas da floresta são ricas em
diversos tipos de plantas. Alem da vegetação comestível que
cresce em abundancia, a floresta também oferece uma ampla
variedade de ervas medicinais e alucinógenas. A floresta
também é rica em toxinas letais, algumas tão mortais que
podem parar o coração de um homem alguns segundos
depois de entrar em contato com sua pele. Somente os mais
destemidos exploradores e os mais viajados comerciantes
arriscariam a se aprofundar na floresta em busca de plantas
raras. Estranhos espíritos rondam as profundezas da floresta
e as próprias árvores podem se erguer para se defender de
invasores.
Durante a Primeira Era, cidades de ouro e diamante
brilhavam entre as arvore: a belíssima Rathess, onde os reis
dragões governavam; a orgulhosa Malessa das Onze Torres;
Sperimin, o nexo da feitiçaria; e a perdida Samiaren no
nordeste, onde a neve caia sobre pontes de âmbar por entre
os pinheiros, mas os habitantes podiam andar livremente
vestidos em finas sedas mesmo no mais intenso inverno. Com
o declínio do Shogunato Sangue-de-Dragão, a Wyld e o Povo
Fada conseguiu alcançar e atacar as cidades mais distantes
das florestas orientais. Algumas resistiram, outras continuam
perdidas para o conhecimento atual. Outras foram tomadas
pela floresta, obrigando seus habitantes a fugirem para o
oeste por suas vidas e por suas almas. Pântanos cobrem as
outrora belíssimas estradas e árvores crescem através das
moradas de cristal.
O típico habitante do Leste tem pele morena
variando do bronze-claro ao mais comum castanho-escuro do
Leste profundo. Louro, ruivo e castanho são cores comuns de
cabelos, que costumam ser predominantemente lisos ao invés
de cacheados. Os orientais costumam ser altos, e mesmo as
mulheres possuem em media 1,8 m de altura. Famílias
orientais costumam ser matriarcais, vivendo em volta da
figura feminina. Filhos homens são criados pelos irmãos da
mãe, pois casamentos são incomuns (mas não
desconhecidos). Todos honram os espíritos da floresta. Em
alguns lugares deuses maiores locais são reverenciados,
enquanto em outros locais até mesmo espíritos menores
recebem orações e oferendas. O Leste é perigoso, mas
bastante lucrativo para comerciantes e aventureiros que
percorrem as florestas em intermináveis caravanas em busca
de tesouros perdidos ou riquezas presentes.

O Leste

Crônicas de Exalted alyssonlago alyssonlago